Mostre-me um exemplo TRIBUNA DE URUGUAIANA: Cassino, por Gabriel Novis Neves

10 de jan de 2015

Cassino, por Gabriel Novis Neves

Observar a vida que se passa em um cassino, para quem não é do ramo, é algo fascinante.
Dias de pesquisas são necessários para tentar desvendar o mistério que máquinas, roletas, cartas, causam a inúmeras pessoas.
A sensação deve ser muito prazerosa, pois, do contrário, não existiriam esses lugares de luxos que foram criados para sempre darem lucros.
Nunca tive notícias de um cassino que tenha falido.
Sei de pessoas que ganharam rios de dinheiro. Os perdedores, que são a maioria, se calam.
O mais complicado é entender que as moderníssimas máquinas computadorizadas foram programadas para dar a ilusão que seriam derrotadas pelos viciados jogadores.
É uma engenhoca extraordinária, onde os dependentes desta diversão estão sempre bem humorados e esperançosos que um dia vencerão e não precisarão mais se preocupar com a sua independência financeira.
Bem diferente do jogo de futebol, quando os torcedores dos times derrotados deixam os estádios cabisbaixos, em completo silêncio ou resmungando do resultado, com sinais evidentes de sofrimento traduzido em imensa tristeza.
Não raro apelam para a violência, em ato inconsciente, para se protegerem da agressão da derrota sofrida.
O jogador do cassino deixa a banca sempre alegre, pois jamais perde a esperança de se recuperar quando diante da perda.
Entendi que, antes de tudo, esse jogo, que, às vezes, arruína o patrimônio do brincalhão, causa-lhe sensações únicas de prazer, provavelmente por ser um jogo individual e decisão pessoal.
O resultado de um jogo de futebol depende de uma cadeia de interesses escusos.
No cassino todos sabem que as chances de perder são maiores que ganhar, e este fato é aceito.
No futebol ainda pode existir a lógica de vencer o melhor, mas, muitas vezes esta lógica não é respeitada.
No cassino há técnica, mas reina o imponderável.
Existe outro “cassino”, que é o da bolsa de valores: perverso, que impõe a todos um jogo sujo.
Uns poucos com informações privilegiadas fazem fortunas incalculáveis do dia para a noite.
Este é o cassino oficial, existente em todos os países para manter a pesada estrutura do poder.
Ah! Os cassinos! 

Nenhum comentário: