Mostre-me um exemplo TRIBUNA DE URUGUAIANA: Desculpa esfarrapada, por Gabriel Novis Neves

27 de nov de 2014

Desculpa esfarrapada, por Gabriel Novis Neves

É uma desculpa inconsistente. Não possui crédito. Geralmente, quem é vítima dela sente-se extremamente irritado. Isto porque logo se percebe a covardia daquele que se utilizou dela para esconder ou justificar um malfeito. 
No dia a dia são infinitas as desculpas esfarrapadas que se apregoam por aí. Um subterfúgio pouco nobre por parte daqueles que não têm por hábito assumir seus erros. 
Muito comum na política. A mais conhecida por todos nós é a famosa –“não sabia de nada”. 
Há dias assisti estarrecido pela televisão a tentativa de um advogado em querer inocentar seu cliente que foi preso por ter cometido, com agentes públicos e políticos, o saque à Petrobras. 
Disse que no Brasil, por menor que seja o município, se um empreiteiro vencedor da licitação quiser colocar um paralelepípedo, tem de pagar propina ao agente público. 
Do contrário não recebe o valor da obra e sua firma vai à falência. 
Como vivemos numa cultura extremamente hipócrita, em que verdades nunca podem ser ditas, caiu mal o argumento, principalmente partindo de um advogado. 
Típica desculpa esfarrapada para minorar a conivência do seu cliente, uma vez que ninguém é obrigado a aceitar e ganhar dinheiro com atividade ilícita. 
Quem não quiser participar da maracutaia nacional é dada a prerrogativa de não entrar no esquema ou denunciar o crime de lesa pátria aos órgãos competentes para as devidas providências. 
No momento que colabora com a imoralidade está formada a dupla de corruptos e corruptores.
Essa velha história que ouvimos com frequência “que sempre foi assim” merece o repúdio da sociedade, a grande prejudicada. 
Falta coragem e sobra hipocrisia para denunciarmos escândalos que sabemos existir, e achar que é só um problema cultural! 
Na verdade o caso é de polícia para os ladrões do nosso patrimônio. 
Precisamos de uma imprensa mais livre, uma sociedade mais vigilante e líderes independentes. 
É triste saber que hoje existem quadrilhas de agentes públicos mancomunados com empresários dilapidando os nossos bens morais e materiais. 
A corrupção é um mal universal, mas com algumas diferenças. Nações com melhores níveis educacionais punem os seus corruptos. Aqui reina a impunidade. 
O país não suporta mais esse odor fétido dos nossos Palácios. 
Um dia a casa cai, infelizmente para o pior, nos ensina a história. 
Não podemos mais ficar abstêmios a todos esses insultos e ficar aceitando desculpas esfarrapadas. 

Nenhum comentário: