Mostre-me um exemplo TRIBUNA DE URUGUAIANA: Brasil, por Gabriel Novis Neves

8 de dez de 2014

Brasil, por Gabriel Novis Neves

Brasil 
“Já não tenho paciência para algumas coisas, não porque me tenha tornado arrogante, mas simplesmente porque cheguei a um ponto da minha vida em que não aceito perder mais tempo com aquilo que me desagrada ou fere”. Meryl Streep. 
Essas palavras, de uma das maiores atrizes do cinema americano, vão ao encontro da opinião da grande maioria das pessoas que pensam. 
Nunca li um pensamento-síntese tão perfeito para a situação em que vivemos! 
Diante da estapafúrdia situação nacional, onde tudo tem o seu preço - votos, consciências, dignidade, silêncio e a honra - ninguém mais perde seu tempo com os descalabros éticos do nosso país. 
Leis não são respeitadas pelos seus próprios fazedores e os responsáveis, que são muito bem pagos para fiscalizar o seu fiel cumprimento, se desobrigam de tal tarefa. 
O descrédito é geral com relação às mudanças prometidas, e já esquecidas pelos nossos “representantes” na maneira de tratar da coisa pública. 
Aprendemos desde cedo que decisões judiciais não são para ser discutidas, e sim, cumpridas. Depois, na justiça, discute-se o mérito da punição podendo o réu ser absolvido ou não. 
No momento observamos altas autoridades realizando protestos de desagravo aos presos das operações da Polícia Federal - que está cumprindo uma ordem judicial.  Estão reunindo centenas de pessoas e insuflando-as para represálias. 
A desordem venceu a razão e as estradas de escoamento das nossas riquezas serão interditadas, prejudicando o espoliado trabalhador brasileiro. 
Em Brasília, o presidente do Congresso Nacional não teve força moral para esvaziar as galerias lotadas de manifestantes que protestavam contra a aprovação de mais uma imoralidade, e a sessão foi interrompida e adiada. 
Com certeza, alguns “detalhes” serão ainda acertados... 
O desencanto nos leva a não perder mais tempo com tudo que nos desagrada profundamente e fere os nossos valores. 
Perdi a paciência. 
Hoje não permito que me magoem. 

Nenhum comentário: