Mostre-me um exemplo TRIBUNA DE URUGUAIANA: A paz, por Gabriel Novis Neves

1 de jun de 2015

A paz, por Gabriel Novis Neves


A paz
Viemos do mundo predador, onde a violência faz parte da vida animal para a manutenção das espécies.
Estamos ainda aprendendo a viver em paz neste universo considerado de seres racionais.
Temos muitas dificuldades em entender que o planeta Terra, com mais de seis bilhões de habitantes, possui culturas diferenciadas e que precisam ser respeitadas.
Como querer isso se no momento há quatro bilhões de pessoas no mundo vivendo com uma renda diária entre um e dois dólares? 
Sim, é isto mesmo que você leu!  Situação indigna a qualquer ser humano! 
O ato de conviver harmoniosamente com essas diversidades, que a cada dia se tornam maiores, é o caminho da tão esperada paz. 
A ganância é o motivo principal das guerras, lutas religiosas, além dos outros preconceitos herdados pela nossa origem predadora. 
Existem inúmeras instituições e grupos de culturas diferentes trabalhando para que alcancemos o objetivo da paz entre os homens. 
Os interesses políticos, religiosos e empresariais são enormes, aumentando a cada dia a violência que assola a humanidade. 
A herança dos predadores irracionais em seres humanos parece que sofreu mutações para o convívio pacífico entre os povos. 
Nos tempos primitivos, quando éramos irmãos dos siameses, havia a predação para manter a vida. 
Hoje, a indústria bélica, em poder de poucas nações, é utilizada para dizimar civilizações inteiras, puramente por interesses comerciais, na sua maioria. 
Olhando o mapa do mundo constatamos quantos conflitos inúteis! Com milhares de mortos diariamente, coincidentemente, em regiões de inesgotáveis e diversificadas riquezas naturais. 
Guerras fazem parte da história da humanidade, como a dos judeus e árabes, onde gerações foram sacrificadas no passado e continuam no século XXI. 
Nem o todo poderoso Presidente Obama, comandante do império dominante, conseguiu, ou teve interesse, em terminar com essa desavença. 
Como o exemplo vem de cima, outras nações continuam se digladiando impedindo a paz. 
Até quando suportaremos este estado de coisas que ferem a nossa sensibilidade e nos humilham no dia a dia? 
O rico pobre continente africano sucumbe com seus genocídios em massa, como esse recente em Ruanda, isso sem falar nos famintos da Líbia que se amontoam em barcos suicidas na tentativa de sobrevivência. 
Parece não estar muito distante o botão da destruição do planeta caso a humanidade não se conscientize rapidamente de toda essa injustiça. 
A paz precisa sair do discurso para a prática para eliminarmos tantas distorções sociais que provocam mais violência entre os povos!

Nenhum comentário: