Mostre-me um exemplo TRIBUNA DE URUGUAIANA: Obsessão, por Gabriel Novis Neves

2 de jun de 2015

Obsessão, por Gabriel Novis Neves


Obsessão 
É um transtorno emocional caracterizado, principalmente, por pensamentos negativos dimensionados em níveis maiores que os reais. 
Um dos grandes riscos para quem possui essa doença é a depressão. 
Alguns casos são passíveis de controle por meio de auxílio médico especializado. 
Não confundir com os obstinados, cuja perseverança, geralmente, leva a grandes objetivos. 
A pessoa obsessiva dedica-se em excesso ao trabalho e deixa o lazer e as amizades em um plano inferior. 
A obsessão produz a ideia fixa sobre um pequeno compromisso ou aborrecimento do nosso cotidiano, que muito atormenta o portador deste distúrbio e o faz sofrer, assim como as pessoas que lhe são caras. 
Estão presentes nos obsessivos: a inquietude, a impaciência, a angústia, a preocupação desmedida com as coisas triviais, tornando a pessoa insegura. 
Geralmente, são abandonados, esquecidos e até evitados pelos seus amigos, uma vez que são rotulados de egoístas, totalmente centrados nos seus - ainda que falsos - problemas. 
Felizes daqueles que encontram quem os entendam e os ajudem! 
Conheço casos de pessoas que, talvez pela sua formação profissional, realizaram verdadeiros milagres no enfrentamento do comportamento obsessivo. 
É um assunto pouco discutido e muito sentido, sempre com um desfecho não muito favorável a quem necessita de auxílio para se libertar desse mal. 
Muitos portadores desses sintomas  têm noção das suas dificuldades e são gratos aos despojados e humanos responsáveis pela sua reabilitação. 
De um modo geral o obsessivo é mal interpretado ao valorizar seus pequenos problemas em detrimento de situações que, para os circunstantes, seriam muito mais urgentes. 
Somente através de pessoas ligadas à área do comportamento humano que minimizem os seus sintomas, terão eles condições de ir se descondicionando de seus reflexos patológicos. 
Claro, não estamos falando da neurose obsessiva compulsiva, em que o distanciamento da realidade impõe um tratamento especializado.

Nenhum comentário: