Mostre-me um exemplo TRIBUNA DE URUGUAIANA: Leishmaniose visceral - URUGUAIANA.

20 de jan de 2014

Leishmaniose visceral - URUGUAIANA.



A Câmara Municipal, através de seu presidente, vereador Ronnie Mello, assinou documento que será encaminhado à Senadora Ana Amélia Lemos, solicitando medidas junto ao Congresso Nacional quanto à liberação do tratamento de saúde para cães infectados com a leishmaniose visceral. Foi sugerido à senadora gaúcha que gestione a rápida liberação do registro do medicamento Milteforan, do laboratório francês Virbac, ainda não deferido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, para uso pelos veterinários brasileiros, além da alteração das regulamentações impostas pelo Ministério no sentido de permitir a realização de tratamento dos animais infectados. “Esperamos que tais medidas sejam agilizadas para que as localidades mais afetadas, como é o caso de Uruguaiana, possam afastar esse risco à saúde pública”, finalizou Ronnie Mello.

3 comentários:

Murruzola Fogaça disse...

Uma ótima ação e esse remédio cura ao animal mesmo.
Há dois poréns.
1º) Vai ser difícil liberarem esse remédio, o custo dele é alto. Um vidro para cão pequeno custa em torno de R$ 1.000,00.
2º) O remédio tem que ser tomado todos os dias durante 30 dias (não pode falhar), depois tem que fazer uma punção no cão.
Agora a pergunta: Quem vai dar remédios para os cães?
Quem vai pagar o laboratório?

Marco Buslins disse...

Se o remédio é caro quem vai dizer são seus tutores, não o governo.A persistência em administrar a medicação depende do tutor do animal.Quem vai pagar o laboratório? O cliente, é lógico! Não está se falando que o GOVERNO vai tratar, apenas que autorize a importação ou a comercialização pelo laboratório, que já comercializa seus produtos aqui,menos esse.Só isso, libere o tratamento para os cães!

Anônimo disse...

primeiro o medicamento nao custa tudo isso para um cao gigante sim. a medicacao deve ser dada por 28 dias e cura o animal. os tratamentos paliativos no final sai o mesmo valor...