Mostre-me um exemplo TRIBUNA DE URUGUAIANA: A poeira baixou, por Gabriel Novis Neves

25 de nov de 2014

A poeira baixou, por Gabriel Novis Neves

Nada como o tempo! Só ele nos dá condições de melhor avaliar o passado.
No caso das últimas eleições aconteceu um festival de contradições.
O povo saiu às ruas no ano passado pedindo mudanças no jeito de governar este país, pois, corrupção não é método de governo.
Foi oferecido à população o instrumento para realizar o seu desejo, o voto.
O que verificamos é que nada mudou nestas últimas eleições, em todos os níveis dos cargos disputados.
Interessante é que todos os candidatos do governo e da oposição tinham como proposta central as mudanças políticas necessárias a esta nação.
A impressão que se tinha é que existia apenas um partido, o tão sonhado por muitos de “um Partido Único”.
As fisionomias dos candidatos são nossas velhas conhecidas, prenúncio que os vícios que nos abatem continuarão; tudo em nome da “governabilidade”.
Nunca na história deste país houve uma disputa tão acirrada para o cobiçado cargo de primeiro mandatário.
Figuras detestáveis pela população povoaram os dois cenários.
Resultado: mais de trinta milhões de eleitores simplesmente deixaram de comparecer às urnas. Outros tantos votaram em branco ou anularam o seu voto.
Existe muito a se aprender com esses resultados que dividiram o país. As alianças partidárias amparadas em trinta e nove ministérios merece atenção dos estudiosos.
Nada de conclusões emocionais e afoitas sobre o acontecido, mas, que existe uma nuvem de preocupações no ar, isso existe.
Temos de governar com mais seriedade para os miseráveis, pobres e trabalhadores desta nação.
Sentimos inveja dos agentes públicos de países que foram destruídos pela guerra como o Japão, Coréia do Sul, China e Alemanha e, hoje, são grandes potências econômicas, sociais e morais.
Eles acreditaram e investiram na educação do seu povo para essa transformação de verdade, enquanto que nós refutamos e não aceitamos que essa é a única estrada da mudança diuturnamente lembrada nas ruas.
Oportunidade de ascensão social a todos, restaurando a confiança e dignidade entre governantes e povo.

Nenhum comentário: