Mostre-me um exemplo TRIBUNA DE URUGUAIANA: A voz das ruas, por Gabriel Novis Neves

27 de abr de 2015

A voz das ruas, por Gabriel Novis Neves

A voz das ruas 
As ruas falam de forma diferente das rosas de Cartola - que exalavam perfume. Tal como o nosso corpo humano, que também fala através de sinais e sintomas, e é muito importante saber interpretá-lo. 
Quando milhões de brasileiros, em pleno domingo, deixam suas casas e, ordeiramente, sem a presença de políticos, sindicatos, ONGs financiadas pelo governo e partidos políticos, saem às ruas para demonstrar todo o seu descontentamento com a nossa situação atual, temos de considerar tal fenômeno. 
Algo precisa ser feito com a máxima urgência, pois o povo não tolera mais medidas paliativas contra a corrupção, impunidade e ausência de políticas públicas visando o nosso desenvolvimento e bem-estar. 
Vivemos em plena democracia onde os problemas são mais fáceis de ser resolvidos. 
Joguemos as vaidades, interesses pessoais e corporativismo no lixo da história, e que na mesa de negociações encontremos soluções para os pedidos das ruas, enquanto houver tempo. 
Não podemos mais viver no absurdo de dois países - um de maioria pobre, miserável e remediados e outro de minoria rica. 
Temos de rever esse estado de coisas, e o exemplo tem de vir de cima para baixo. 
Não suportamos mais manter agora, trinta e oito ministérios e uma interminável linha de aproveitadores de incontáveis benefícios roubados dos que trabalham. 
Esses exemplos são tão malignos para nossa cidadania, que nossos jovens não acreditam que é a educação o caminho da ascensão social. 
O mérito é uma palavra perdida no nosso mundo moderno, onde a esperteza é vista e perseguida para alcançar a riqueza imediata, clandestina e inexplicável. 
As ruas estão roucas de tanto denunciar os desmandos dos nossos agentes públicos, políticos e empresários. 
Nossas autoridades parecem surdas aos reclamos de seus eleitores. 
A humildade deve substituir a prepotência dos nossos governantes e, nunca, menosprezar a sabedoria das ruas.

Nenhum comentário: