Mostre-me um exemplo TRIBUNA DE URUGUAIANA: Onda, por Gabriel Novis Neves

4 de mai de 2015

Onda, por Gabriel Novis Neves

Onda
Estamos vivendo um momento único de desencanto, atingindo as mais diferentes classes sociais. Delas ouvimos lamúrias de descrenças com os destinos deste país, fazendo as pessoas a pensarem a deixar nossa pátria por um país mais civilizado.
As justificativas são as mais variadas possíveis passando pela corrupção incontrolável, impunidade, e terminando com a absoluta falta de respeito ao cidadão.
Um famoso cabeleireiro de estrelas e homens de negócios em São Paulo proprietário do Studio W, em recente entrevista ao canal de televisão Globonews revelou toda a sua preocupação com o depoimento dos seus clientes empresários de peso. 
Todos reclamam da falta de condições de trabalho com uma tributação das maiores do mundo e sem retorno em serviços para a população.
Demonstram tristeza preocupante e vontade de procurar no exterior novos rumos para os seus negócios.
Nos encontros com profissionais liberais especialmente os mais jovens é comum constatar o desejo de deixar o Brasil.
Muitos já migraram para os países deste imenso mundo global. Até no Golfo Pérsico encontramos médicos brasileiros super qualificados exercendo com satisfação a sua profissão, enquanto importamos cubanos...
Nem no período do “Ame-o ou deixe-o” presenciamos uma onda tão intensa de intenções como agora em que vivemos em um “estado democrático e de direito”.
O desrespeito ao pagador de impostos é tão gritante que ninguém mais suporta ver o nosso esforço traduzido em pagamentos de impostos serem surrupiados por agentes públicos, quando o percentual de pessoas que não acreditam na Presidente atinge a fantástica marca de setenta e quatro por cento da população brasileira, segundo a última pesquisa do IBOPE.
Só o rombo na Petrobras segundo os mais otimistas especialistas em políticas de desemprego atingirá cerca de um milhão de trabalhadores.
E o desejo para deixar o país chega a atingir até os mais otimistas.
A Alemanha segundo pesquisas apesar da dificuldade do idioma é o sonho de consumo desta gente que está perdendo as esperanças de ter uma pátria mais justa e decente, onde seus dirigentes tenham pelo menos o mínimo de credibilidade.
Triste fim para um país de dimensões continentais, rico em terras férteis e recursos naturais, vítima dos desmandos dos seus filhos.

Nenhum comentário: