Mostre-me um exemplo TRIBUNA DE URUGUAIANA: estresse, por Gabriel Novis Neves

29 de jul de 2015

estresse, por Gabriel Novis Neves

Estresse 
A saúde de uma pessoa é o resultado do perfeito equilíbrio entre a sua parte física e a psíquica, componentes que, trabalhando em conjunto, compõem a estrutura humana. 
Quando, por múltiplos fatores, isso é rompido, temos o aparecimento das doenças - que podem, de emocionais inicialmente, ser transformadas em sérias patologias orgânicas. 
O estresse excessivo constante do mundo moderno é uma das grandes causas de inúmeras doenças, cada vez mais presentes em nossas vidas. 
Direcionados por todas as propagandas alimentares e para práticas de exercícios físicos, aliás, todas visando obter, fundamentalmente, lucros comerciais, cada vez aumentamos mais os nossos níveis de estresse, seja através do crescimento absurdo da violência, seja através do aumento da competitividade, em que o ser humano se torna mais valorizado pelo que ele tem, e não, pelo que ele é como pessoa. 
O ócio criativo, fundamental para o exercício da criatividade, foi abolido pelas leis do mercado. O homem máquina deve funcionar até o final de seus dias, quando então será, definitivamente, descartado, não só pela sociedade, mas também por seus familiares. 
Por todos esses fatores, o que notamos no mundo é uma explosão assustadora da ansiedade e da depressão. 
Com a evolução do sofrimento produzido por alterações no nosso psiquismo, descarregamos esse desconforto em um órgão, chamado de choque. 
Os livros médicos relatam com perfeição, por exemplo, lesões de mucosa gástrica que até podem perfurar.  É a conhecida úlcera por estresse. Nos casos mais brandos, os consultórios dos gastroenterologistas estão lotados de pacientes com “gastrite nervosa”. 
Esse desequilíbrio leva os pacientes a se tornarem hipocondríacos, consumindo excesso de medicamentos, agredindo mais a impactada mucosa gástrica, vítima do excesso de produção do ácido clorídrico e do suco gástrico. 
Muitos diagnósticos de gastrite medicamentosa têm também essa origem, agravada por hábitos alimentares errados e a ingestão desmesurada de bebida alcoólica. 
Nesse mecanismo posso incluir certas hipertensões arteriais, diabetes, bronquite asmática e doenças da pele, entre outras. 
São também rotuladas de doenças decorrentes desse estresse prolongado para o qual o nosso organismo não foi programado.
Existe entre os populares um clichê dizendo: “para fugir da loucura o melhor é escolher uma doença orgânica”. 

O mesmo se aplica em sentido contrário. Claro que essa afirmação não tem credibilidade científica e lembra uma velha teoria do Freud sobre a evolução da personalidade, hoje totalmente abandonada e criticada. 
Era a teoria do Épsilon, que na adolescência aparecia em personalidades mal estruturadas.  
Na época do pai da psicanálise, o homossexualismo era considerado uma doença e quem fazia essa opção era sadio organicamente, mas com problemas psíquicos. 
A verdade é que ainda não conhecemos os segredos do cérebro humano. 
Até recentemente se acreditava que o cérebro era o único órgão importante do nosso corpo, sem vasos linfáticos e por isso, separado do sistema imunológico. 
As imagens dos livros de anatomia geralmente mostram a formação de nódulos e vasos linfáticos como uma complexa tela em todo o corpo com relação ao cérebro. 
Pesquisadores da Universidade da Virgínia, nos Estados Unidos, descobriram um sistema de vasos que liga o sistema nervoso central aos nódulos linfáticos. 
Atualmente sabemos que o cérebro está diretamente ligado ao sistema imunológico. 
Isso vem provar que as agressões ao nosso emocional fragilizam todas as nossas defesas imunológicas. 
Alguns chegam até a afirmar, baseados em estatísticas, que o câncer é mais frequente em pessoas que sofreram forte impacto emocional, e por períodos prolongados. 
Fica claro que quem comanda nossa saúde física e mental é o ainda desconhecido cérebro. 
Cuidemos, pois, das nossas emoções, para evitarmos as doenças orgânicas e a loucura.

Nenhum comentário: