Mostre-me um exemplo TRIBUNA DE URUGUAIANA: Futebol, por Gabriel Novis Neves

2 de ago de 2015

Futebol, por Gabriel Novis Neves

Futebol 
O nosso antigo melhor futebol do mundo, chamado de futebol arte, também pegou carona no péssimo momento de crise que vive o nosso país. 
Está em franca descida para o abismo da mediocridade. 
Fomos atacados pela corrupção na venda dos nossos craques para as nações mais ricas - envolvidos nos escândalos das “escolhas” das sedes dos últimos campeonatos mundiais. 
Finalmente veio a renúncia do presidente da FIFA, acusado de corrupção após vinte anos de mandato. 
Com ele, a prisão de vários dos seus assessores pela polícia da Suíça. No pacote de investigados e presos estava o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). 
Esse escândalo internacional repercutiu em todas as mídias do mundo, obrigando o Senado Federal, por iniciativa do tetracampeão mundial de futebol, hoje senador Romário, a solicitar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). 
O povo brasileiro deseja saber quem são os responsáveis pelo desmanche do nosso mais popular esporte. 
A nossa participação em competições internacionais, para uma nação pentacampeã do mundo em futebol, é simplesmente alarmante e inaceitável. 
Perdemos a Copa do Mundo ano passado pelo resultado humilhante de 7X1 para os alemães e depois de 3X0 para os holandeses, o terceiro lugar da maior competição futebolística do planeta Terra.
Este ano no Chile perdemos a Copa das Américas, onde não nos classificamos nem entre os quatro melhores países. 
Ficamos atrás do Chile (campeão), Argentina (vice), Peru (3º lugar) e Paraguai (4º lugar). 
Para completar o ciclo de humilhações, o Internacional de Porto Alegre foi eliminado facilmente pelo Tigres do México na Taça Libertadores. 
O antigo ópio do povo, que era o futebol que encantava multidões, foi substituído por estádios vazios e pela indignação. 
Tudo que o governo faz neste momento para salvar o nosso futebol são cuidados paliativos. 
Estamos em estado terminal também na paixão esportiva do brasileiro.

Nenhum comentário: