Mostre-me um exemplo TRIBUNA DE URUGUAIANA: Turismo sexual, por Gabriel Novis Neves

3 de ago de 2015

Turismo sexual, por Gabriel Novis Neves

Turismo sexual 
Lamentavelmente somos conhecidos no mundo por sermos um dos roteiros mais procurados para turismo sexual. A bela cidade do Rio de Janeiro e o nordeste brasileiro são os alvos preferidos.
Cantado em verso e prosa como o país das mais belas e sensuais mulheres do planeta, vendemos, com orgulho, essa triste imagem que, no fundo, apenas escancara a nossa miséria.
O nordeste brasileiro, tristemente vinculado ao turismo sexual infantil, conta com o assédio de pedófilos de todas as partes do mundo, que já adquirem seus pacotes de viagem com a inclusão do comércio de meninos e meninas.
Tal realidade nos envergonha e nos humilha perante o mundo, porém, muito pouco tem sido feito para mudar esse estado de coisas, sempre mais difíceis nos momentos de crises e de miséria avassaladoras.
Entretanto, diante do aparecimento nos Estados Unidos de alguns sites oferecendo as chamadas “sugar babies”, passamos a fazer alguns questionamentos.
São moças frequentadoras das grandes universidades americanas que se oferecem como companhias descompromissadas para homens mais velhos, mais abastados, em troca do pagamento de suas mensalidades universitárias.
Como todos sabem, as universidades americanas são muito caras, podendo chegar a cifras anuais em torno de trinta e cinco mil dólares, portanto, inacessíveis às jovens de classe média.
Esses sites são considerados perfeitamente legais e seus usuários não estão sujeitos a qualquer tipo de legislação contra a prostituição.
Sociedades hipócritas e pseudomoralistas, mesmo em países de primeiro mundo, não se diferenciam muito das tupiniquins, a não ser pelo tamanho do rombo que a miséria causa.
A prostituição complementar, aqui como lá, apenas com maior ou menor intensidade, rotula os que a ela recorre.
Enfim, a prostituição é sempre a mesma, seja ela para fins culturais ou simplesmente para mitigar a fome.
Realmente, comportamentos morais suscitam muitas interpretações!

Nenhum comentário: