Mostre-me um exemplo TRIBUNA DE URUGUAIANA: Mentira, por Gabriel Novis Neves

23 de ago de 2015

Mentira, por Gabriel Novis Neves

Mentira
Não é possível construir uma nação de ilusão.
Nos últimos anos o governo, bem assentado em um eficiente marqueting munido a ouro, utilizou todos os tipos de mentiras para demonstrar aos menos avisados que éramos um país com a sexta economia do mundo, democrático e totalmente consolidado para o crescimento econômico e desenvolvimento social.
Mal sabiam os eternos inocentes úteis que estávamos sendo vítimas da “contabilidade criativa”, embalados pelo “oba-oba” otimista do escondidinho da realidade de fracassos, início do caos que ora nos apavora.
A verdade apareceu, e o desafio agora é corrigir, se possível, anos de erros e engodos.
Oportuno lembrar, quando o dinheiro acabou, que o governo não gera riqueza, e só tem três meios de encher seus cofres: aumentar ainda mais os impostos, captar no mercado financeiro dinheiro emprestado, que irá aumentar a nossa quase já impagável dívida e conviver com a inflação em altos patamares.
Para prejudicar o país, o Congresso, diariamente, vota leis aumentando despesas, e a Presidente não tem pudor em atribuir à operação Lava Jato 1% da queda do Produto Interno Bruto (PIB).
Isso não computando no nosso saldo negativo o prejuízo causado pela inimaginável corrupção metastática atingindo todos os órgãos públicos e a má gestão, filhotes das escolhas dos seus ocupantes, por critérios políticos, e não, profissionais.
O ministro Joaquim Levy, um técnico que parece estar gostando do cargo político, aconselha cortar na carne os gastos desnecessários e criminosos e abandonar de uma vez por todas os números imaginários.
Essa atitude do ministro significa uma reviravolta no jeito de gerenciar a coisa pública, pois iremos trabalhar com números reais e desconfiar de números irreais e fantasiosos, tudo na maior transparência.
Assim a corrupção será forçada a encolher, e voltará a esperança por dias melhores.
Continuar na mentira, nunca mais!

Nenhum comentário: