Mostre-me um exemplo TRIBUNA DE URUGUAIANA: Frear, por Gabriel Novis Neves

31 de jan de 2016

Frear, por Gabriel Novis Neves

Frear 
Estou pensando seriamente em frear um pouco as minhas atividades diárias, iniciando pelo ato de escrever. 
Um período de reflexão eu creio que seria útil para repensar sobre as misérias do nosso dia a dia. 
A política está cada vez pior com a deterioração das suas principais instituições. 
É tanta injustiça e desigualdade social, que a nossa população vive em estado permanente de perplexidade. 
A falta de pudor dos nossos governantes com a coisa pública está retirando da nossa gente a ilusão de dias melhores, assim como a autoestima e autoconfiança. 
As castas ainda existem em pleno século XXI em um país dito democrático e socialista. 
A insatisfação e a ausência de perspectivas estão afastando os jovens  dos estudos, fazendo-os procurar meios não éticos  para sobreviverem. 
Não é por acaso que o Brasil possui o maior contingente de população carcerária do mundo! O pior é que os nossos agentes públicos se orgulham de possuir uma polícia eficiente para conseguir esse recorde. 
O correto seria comemorar o esvaziamento dessas universidades do crime através de um grande esforço na área educacional, o melhor antídoto para a barbárie. 
Triste é notar que esses depósitos de gente são compostos, em sua maioria, por negros e pobres. 
Sendo o país da corrupção, nada mais estranho que esses dados para demonstrar que também somos o país da falta de oportunidades e da injustiça social. 
Escrever sobre esses assuntos que são notícias só mesmo para profissionais. 
Espero que, afastado por algum tempo, consiga fazer outra leitura da nossa sociedade e retornar oxigenado ao saudável e prazeroso hábito de socializar minhas preocupações com relação, especialmente, à ética, à educação, à saúde, às inovações tecnológicas, ao respeito às crianças e aos idosos. 
Vou tentar essas férias após a publicação diária de mais de dois mil artigos. 
Espero encontrar mais ética e menos demagogia por parte dos nossos governantes no trato das nossas necessidades básicas após esse período de descanso. 
Aos que me honraram com suas leituras, meu muito obrigado e até breve.

Nenhum comentário: