Mostre-me um exemplo TRIBUNA DE URUGUAIANA: Ao Povo de Uruguaiana.

7 de jul de 2015

Ao Povo de Uruguaiana.

Tenho a oportunidade de convidar o Povo de Uruguaiana, que me concedeu a honra de ser Prefeito e comandar os destinos desta terra, para uma reflexão. Para quem acompanha meus pronunciamentos na imprensa local deve lembrar que, pelo menos, há dois anos e seis meses, falo que o orçamento da Prefeitura Municipal de Uruguaiana deve ser revisto, que precisamos aumentar a receita, modernizar a administração e prestar bons serviços à população.
No entanto, precisamos aprovar mudanças e implantar ações transformadoras. Não podemos insistir em manter o índice de 35% na Educação (o qual jamais foi aplicado desde a aprovação da Lei Orgânica Municipal) e deixar a cidade cair no precipício. Alguns me entenderam e apoiaram, outros insistem em manter a atual situação que, repito, levará o Município de Uruguaiana ao fundo do poço. Não adianta culpar este ou aquele Prefeito.
Temos que ter a consciência que os Prefeitos passam, a função e a soberania do voto são por tempo determinado, mas a cidade de Uruguaiana permanece e não deve ser massacrada pela incompreensão e a defesa intransigente de privilégios, interesses pessoais ou político-partidários. Temos obrigação de zelar pela cidade que amamos.
O povo avalia, pensa, reflete e sabe que tenho me empenhado na busca de soluções para enfrentar a crise financeira e administrar a Prefeitura. Agora, estamos diante do caos. Temos que tomar decisões rápidas e eficazes. Neste mês, já não conseguimos pagar toda folha do funcionalismo no último dia útil.
Não temos perspectivas a curto prazo, sem a aprovação de dois projetos que tramitam na Câmara Municipal: a readequação do índice de investimento na Educação e o estabelecimento de um novo teto para pagamento das Requisições de Pequenos Valores (RPVs). O Município não tem condições de pagar precatórios e RPVs no atual modelo. Devemos 80 milhões em precatórios e as RPVs trabalhistas, em 2014 e 2015, poderão somar mais de R$ 50 milhões sequestrados. Em março deste ano, 59,39% da receita da Prefeitura foi sequestrada.
Pasmem, mas em abril, 74,77 % da receita da Prefeitura Municipal de Uruguaiana foi sequestrada. A situação é insustentável, requer lucidez, altivez e bom senso, sem demagogia. 
Mesmo tendo conhecimento de que a maioria da comunidade aplaude e vibra com o nosso Carnaval de Rua, frente ao grave problema financeiro que afeta o Executivo Municipal, poderemos ter que cancelar o evento que está programado para março de 2016, bem como a Feira do Livro, Califórnia da Canção Nativa e a Feira das Etnias, dentre outros projetos sociais ou culturais. Também, teremos que rever a concessão de gratificações, horas extras e funções gratificadas, exoneração de cargos de confiança e pedimos o apoio dos funcionários municipais para que poupem energia elétrica e água nos prédios municipais.

Ainda, por economia, cogitamos temporariamente o fechamento e desativação de alguns próprios municipais. Estamos analisando e depois apresentaremos estas primeiras medidas e conversaremos com a sociedade. O Brasil e o Rio Grande do Sul também estão em crise e precisamos unir esforços para manter os serviços essenciais e, com coragem, determinação e responsabilidade, levar Uruguaiana ao encontro de seu grande destino. Um forte abraço e muito obrigado. Luiz Augusto Schneider - Prefeito Municipal de Uruguaiana.

Nenhum comentário: