Mostre-me um exemplo TRIBUNA DE URUGUAIANA: A estética das ruas, por Gabriel Novis Neves

8 de nov de 2015

A estética das ruas, por Gabriel Novis Neves

A estética das ruas  
Estudos sociológicos mostram que os moradores de rua acabam formando uma estética própria, cada vez mais mimetizada com os espaços por eles frequentados. 
Alguns - acobertados por transeuntes frequentes - até desenvolvem laços sociais com essas pessoas e são por elas agraciados com alimentação e outros pequenos mimos, para eles absolutamente fascinantes. 
Em uma entrevista na TV vi um morador de rua em S. Paulo usando roupa de boa qualidade e um elegante cachecol. Mostrava o acessório com muito orgulho, presente de um dos seus protetores. 
As razões que levam essas pessoas a morarem nas ruas nem sempre estão ligadas apenas à pobreza. 
Pelo total distanciamento da sociedade vão ficando cada vez mais vítimas de uso de drogas e perspectiva de doenças mentais. 
Muitos deles, por desajustes familiares, se habituam a uma liberdade nunca antes experimentada, sem os ditames estabelecidos pelas leis sociais. 
Na cidade do Rio de Janeiro estão sendo desenvolvidas políticas públicas em parceria com voluntários: assistentes sociais, médicos, psicólogos e antropólogos. Eles trabalham no sentido de oferecer ao morador de rua um vínculo, uma possibilidade futura de cidadania. 
Isso é mais importante que fazer caridade. 
Sessenta por cento deles não possui sequer documento de identidade, o que tem sido providenciado sem qualquer tipo de ônus.  
É tirar do progressivo suicídio pessoas que perderam totalmente a visibilidade. 
A experiência parece que vem dando certo, pois alguns líderes desse movimento são ex-moradores de rua. 
O processo, que começou no Rio, vem sendo copiado por outras cidades do Brasil com relativo sucesso. 
É necessário que a sociedade civil se organize, já que o poder público tem se mostrado, como em todos os outros setores, absolutamente omisso. 

Nenhum comentário: