Mostre-me um exemplo TRIBUNA DE URUGUAIANA: Medo, por Gabriel Novis Neves

9 de jan de 2015

Medo, por Gabriel Novis Neves

Tentam implantar no Brasil a democracia do medo. Imprensa amordaçada e patrulhada. Poder público aparelhado. 
Esse é o modelo das ditaduras dos países subdesenvolvidos. “Nada é mais desprezível do que o respeito baseado no medo” - Alberto Camus. 
O medo deseduca. A história da humanidade está repleta de exemplos que demonstram a inutilidade do pavor para a manutenção do poder. 
Recentemente comemoramos os vinte e cinco anos da queda do Muro de Berlim. 
Este fato histórico ficou na memória de todos nós, pois a demolição foi um ato material em que homens e picaretas derrubaram o muro do medo. 
Temos outros exemplos de libertação do medo dos poderosos sem imagens materiais. 
Recordo o caso da Lituânia quando cerca de dois milhões de pessoas de mãos dadas fizeram o abraço da insubordinação ao regime comunista que os escravizavam. 
Gestos ficam na memória. Sua história geralmente é contada e circula oralmente sem o impacto do visual material. 
A democracia do medo entre nós é criação de intolerantes morais, que se dizem partidários do sistema bolivarianista. 
Matam espalhando o terror para se perpetuarem no poder. 
E o nosso país, que possui uma das maiores economias do mundo, é liderado por esse sistema atrasado e ditatorial. 
Isso nos traz apenas infelicidade e sensação que esta nação não tem jeito. 
Devemos seguir os conselhos de Fernando Pessoa, poeta português, para repudiar essa tentativa totalitária quando nos alerta: 
“Não se acostume com o que não o faz feliz”. 

Nenhum comentário: