Mostre-me um exemplo TRIBUNA DE URUGUAIANA: Teste, por Gabirel Novis Neves

10 de mai de 2015

Teste, por Gabirel Novis Neves

Teste 
O líder de um pequeno grupo de estudantes de medicina me telefonou às vésperas de um feriadão, dos muitos que teremos este ano, perguntando quando eu poderia recebê-los para um trabalho acadêmico em minha casa. 
Respondi que estaria livre na manhã seguinte. 
Surpreso e meio engasgado com o aceite imediato, pediu um tempo para consultar sobre a disponibilidade dos seus colegas de grupo de estudos e preparar a pauta das perguntas. 
Sugeri então dois dias após, às nove horas da manhã de um glorioso sábado. Ele concordou e ficou de confirmar.  
Na noite anterior ao dia proposto, recebi um WhatsApp do futuro colega confirmando a presença dos acadêmicos na data e horário combinados. 
Com toda a certeza não estavam acreditando que o velho professor estaria com disponibilidade para o trabalho naquela manhã de sábado, considerado dia de descanso. 
Para mim seria mais um trabalho universitário. 
Para eles - o primeiro. 
Como diz o Carlos Heitor Cony, e eu tenho repetido muito, esse fato ficará como um “ponto luminoso” para esses estudantes. Falo isto porque nossos alunos estão impregnados pelos conceitos distorcidos sobre dias, horários e locais para aprendizagem. 
Fiz pedagogicamente esse teste para que mais tarde, quando médicos, entendam que para nós todos os horários, dias, meses e anos são iguais para o exercício ético da nossa profissão. 
Foram duas horas de respostas a perguntas muito bem elaboradas pelo grupo, que pelo interesse demonstrado no encontro tem tudo para se tornar de bom nível profissional. 
Para o velho trabalhador em educação foi um prazer insubstituível poder dialogar com os jovens em perfeita interação, sem nenhum bloqueio inerente às nossas tão distintas gerações. 
A simplicidade, singeleza e o comprometimento com a educação derrubam barreiras, inclusive, do preconceito ainda existente entre o mestre e o aprendiz. 
Todos aprenderam naquela manhã de uma semana atípica de feriados, e o teste valeu para aferir o grau de vocação dos jovens com a sua formação profissional.
Gabriel Novis Neves

Nenhum comentário: