Mostre-me um exemplo TRIBUNA DE URUGUAIANA: Los Hermanos, por Gabriel Novis Neves

14 de dez de 2015

Los Hermanos, por Gabriel Novis Neves

Los hermanos 
Nossa vizinha, a bela Argentina, com todo o seu potencial de riquezas, após doze anos de governo dos Kitchener conseguiu trocar a condução de sua política através da recente eleição do novo presidente Maurício Macri. 
Oriundo de uma das famílias mais ricas da Argentina é o primeiro presidente de centro direita da nação portenha a ser eleito após os longos anos de cruel ditadura, uma das mais violentas da América do Sul. 
Após esse período sombrio o país foi sempre presidido por peronistas ou por social democratas. 
Trata-se, portanto, a eleição de Macri, mesmo com uma pequena porcentagem de votos, de um fato inédito para a nação hermana. 
Por sua plataforma eleitoral, Macri cobre de esperanças grande parte da população argentina, desencantada com as políticas populistas até então vigentes. 
Para nós brasileiros fica a expectativa de um melhor intercâmbio comercial, com menor número de barreiras, benéfico para ambos os países. 
Há mais ou menos trinta anos, pelas inúmeras viagens ao país amigo, perturbava-me o grau de decadência em todo o sistema político- econômico. 
Paulatinamente tenho acompanhado, infelizmente, a destruição de sua indústria, o imenso declínio de seu comércio, a tristeza e a miséria crescentes de seu povo. 
Na minha última viagem, há cerca de um ano, custei a acreditar no que via, inclusive, com um enorme declínio do turismo, restaurantes outrora fervilhantes totalmente vazios, ruas desertas, rostos tristes, enfim, tudo ao contrário do que encontrávamos na bela Buenos Aires até algum tempo atrás, uma das mais requintadas e elegantes cidades do mundo. 
Claro, o mundo mudou, populações empobreceram de uma maneira global, mas o que aconteceu com a Argentina é muito triste para todos aqueles que, em curtas incursões de lazer, se encantavam com o desenvolvimento e com a elegância transmitidas pelos hermanos a “nosotros”, sempre aquém dos padrões de vida argentino. 
A esperança é o que move a humanidade!  Aqui ficamos na torcida para que melhores dias voltem a essa rica nação, à qual somos ligados por laços afetivos tão profundos.

Nenhum comentário: